Ou atira ao mar os delinquentes de estimação ou se afoga abraçada ao PT

Publicado Wednesday,7 de August de 2013, matéria sobre POL√ćTICA. Acompanhe mais informações, assine: RSS 2.0. Obrigado por acessar a OSCIP BRASIL. E-mail: oscip@brasil.dx.am

Os companheiros desmoralizados pelo mensalão e os quadrilheiros da base alugada fazem o possível para entregar à oposição, já desfraldada, a bandeira do combate à ladroagem. Os tucanos fazem questão de devolvê-la, arriada, para não tropeçar em bandidos domésticos. Durante a campanha presidencial de 2010, por exemplo, Dilma Rousseff ofereceu a José Serra a bandeja com a cabeça da melhor amiga Erenice Guerra. O candidato tucano rejeitou-a para livrar-se de perguntas sobre um certo Paulo Preto.

De novo para n√£o topar com esqueletos de estima√ß√£o, agora √© Geraldo Alckmin quem se recusa a abrir os arm√°rios da Assembleia Legislativa. √Č um deslize moral e um equ√≠voco pol√≠tico: a devassa acabar√° escancarando as bandalheiras que assombram a 1¬™ Secretaria da Assembleia. Historicamente explorado pelo PT, esse por√£o est√° hoje sob a guarda de Rui Falc√£o, presidente nacional do partido.

Nenhuma sigla conseguiu enxergar as dimens√Ķes da indigna√ß√£o do Brasil decente com a corrup√ß√£o institucionalizada e impune. √Č natural que sejam todos tratados como gente que n√£o merece confian√ßa. Se a oposi√ß√£o oficial n√£o acordar a tempo, repousar√° para sempre na mesma cova rasa escavada para acolher os protetores de ladr√Ķes federais.

Em abril de 2012, também neste espaço, outro post reiterou a advertência:

Um abismo separa a oposi√ß√£o oficial da oposi√ß√£o real, formada por brasileiros que respeitam a lei, os valores morais e as normas √©ticas, n√£o cedem √† tenta√ß√£o de justificar o injustific√°vel, n√£o fazem concess√Ķes ao farisa√≠smo, √† hipocrisia e √† pouca vergonha, n√£o aceitam a tese de que, em pol√≠tica, s√≥ √© feio perder a elei√ß√£o. O eleitorado¬† honesto est√° farto de votar por exclus√£o e escolher o mal menor. O pa√≠s que presta teima em ver as coisas como as coisas s√£o. E n√£o tem bandidos de estima√ß√£o.

At√© que o Brasil descobrisse que o templo das vestais camuflava um bordel, o PT fez de conta que era o √ļnico partido que, nas palavras de Jos√© Dirceu, ‚Äún√£o r√≥ba nem d√™xa rob√°‚ÄĚ. Desmascarada a fraude, a sigla que institucionalizou a corrup√ß√£o impune e organizou a maior roubalheira federal de todos os tempos n√£o perdeu uma √ļnica chance de engrossar a fal√°cia segundo a qual todas se igualam na ladroagem.

√Č o que tem feito desde que pousaram no notici√°rio jornal√≠stico den√ļncias envolvendo o metr√ī de S√£o Paulo. Enquanto recitam que a condena√ß√£o dos quadrilheiros pelo STF resultou de um ‚Äújulgamento pol√≠tico‚ÄĚ (e fingem que Lula e Rose Noronha se conhecem s√≥ de vista), os companheiros berram que a gatunagem alheia √© muito maior. Haja cinismo.

√Č evidente que as hist√≥rias sobre o cartel de que fez parte a Siemens t√™m as impress√Ķes digitais do Planalto. √Č √≥bvio que informa√ß√Ķes em poder dos integrantes do Conselho Administrativo de Defesa Econ√īmica (CADE) vazam de torneiras controladas por Gilberto Carvalho. E at√© os beb√™s de colo sabem que o barulho foi programado para abafar o ru√≠dos pressagos do ep√≠logo do julgamento do mensal√£o.

Feitas as ressalvas, est√° claro que h√° um esc√Ęndalo a investigar, suspeitos a identificar e culpados a punir. J√° se comprovou que, durante alguns anos, grandes empresas se acumpliciaram para tungar muitos milh√Ķes de reais dos pagadores de impostos. S√£o esses, n√£o os milicianos que patrulham a internet insones com a iminente pris√£o dos mensaleiros, que merecem o completo esclarecimento do caso.

O PSDB tem mais uma oportunidade ‚ĒÄ talvez a derradeira ‚ĒÄ de provar que √© diferente do PT. Ao longo do m√™s, os devotos de Lula estar√£o tentando livrar da cadeia os delinquentes amigos e, simultaneamente, acusando qualquer um que se mova fora das fronteiras da sigla. Se soubesse jogar na ofensiva, a oposi√ß√£o oficial trataria de apurar o epis√≥dio embaralhado pelo CADE sem deixar de manter o PT acuado no loda√ßal em que se meteu h√° muito tempo.

A inveross√≠mil maracutaia da Petrobras em Pasadena, a Copa da Ladroagem, a Olimp√≠ada da Roubalheira, o balc√£o de compra de votos em funcionamento no Congresso, os astron√īmicos superfaturamentos do PAC ‚ÄĒ nunca houve tanta muni√ß√£o para atacantes. O problema √© que os advers√°rios do time no poder se habituaram √† retranca.

Lula n√£o abre a boca sobre o caso Rose faz 257 dias. Nenhum tucano exige explica√ß√Ķes. Chef√Ķes do PT cuidam de fazer as malas para dormir na cadeia. Nenhum tucano recomenda aos comparsas dos futuros prisioneiros que se preocupem com o tamanho das celas em que a turma estar√° hospedada. O PSDB e seus aliados precisam afinar-se com o pa√≠s que pensa e entender que o C√≥digo Penal vale para todos. Ficha de filia√ß√£o partid√°ria n√£o √© prova de culpa nem atestado de inoc√™ncia.

A revolta da rua deixou claro que milh√Ķes de brasileiros exigem o fim da corrup√ß√£o impune. Se a mensagem for ignorada, as multid√Ķes indignadas deduzir√£o que nenhum partido respeita normas √©ticas e nenhum pol√≠tico merece confian√ßa. Ou a oposi√ß√£o oficial se livra dos bandidos a bordo e atira ao mar a carga malcheirosa ou se afoga abra√ßada ao PT. N√£o existe uma terceira op√ß√£o.

Por Augusto Nunes

Não acredite no que ler ou ouvir neste site. Tire suas próprias conclusões.

ASSUNTOS recém-publicados

OUTROS ASSUNTOS

EM DESTAQUE

ÔĽŅ
OSCIP BRASIL 2008-2014 ¬© Alguns direitos reservados ‚ÄĘ caixa postal 10810 Bras√≠lia/DF ‚ÄĘ oscip@oscipbrasil.org.br ‚ÄĘ [61] 4141-6181 ‚ÄĘ @oscipbrasil